segunda-feira, 23 de julho de 2012

Os Incêndios e o Pego do Inferno

Andava aqui a ler que no Algarve já ardeu uma área equivalente a 20 mil campos de futebol (o português quantifica tudo tendo como base o tamanho dos relvados)... E entre tantos campos de futebol ardeu o Pego do Inferno, aquele local que procurámos este ano e não encontrámos - porque haviam sido retiradas as placas com indicações da localização - ao que eu comentei: "Deixa lá Amor, o Pego vai continuar por cá encontraremos noutra ocasião, talvez ainda este ano se voltarmos a Tavira", de facto nós podemos voltar a Tavira, mas aquele local idílico já não estará lá, ou pelo menos não estará conforme muitos o conheceram até há três dias atrás... E nós nunca iremos conhecer...

É impressionante como tudo é efémero quando vem um incêndio estúpido, talvez criminoso, conjugado com condições climatéricas absolutamente adversas e varre tudo à sua volta. Infelizmente a história repete-se ano após ano, um pouco por todo o país,  sempre que as temperaturas sobem acima de 30ºC,  mas enquanto não existir uma prevenção eficiente pré-época de calor, uma sensibilização eficaz das populações, uma verdadeira "caça" aos incendiários que nunca, ou muito raramente, são apanhados e chegam a ser julgados vamos continuar a ver o nosso país a arder, vai continuar desaparecer património, flora, fauna, muitas vezes de forma definitiva e irremediável. Lamentavelmente, é preferível remediar do que prevenir, a prevenção custa dinheiro, fica-se à espera que nada aconteça e aí já se pouparam uns trocos, mas quando a tragédia chega os prejuízos são incalculáveis e as perdas irrecuperáveis...

Eis o Pego (que nunca cheguei a ver) antes e depois:



2 comentários:

  1. Que pena! Estive lá 2 anos, era lindo! É triste que estas coisas aconteçam, é como dizes, falta a prevenção.

    ResponderEliminar
  2. Bom dia,
    Sou das pessoas, que tiveram o privilegio de conhecer o pego em todo o seu esplendor e aproveitar aquelas maravilhosas horas passadas entre olhar o campo e saborear as aguas fresquinhas da nascente.
    E infelizmente também sou daqueles que este ano, sonhava com a ideia de ver como ao fim de 1 ano após o triste incêndio tinha ficado o pego.
    A paisagem nos km´s próximos estava a prometer boa apresentação, mas quando cheguei próximo do pego e me deparei com os sinais deixados proibindo aproximação e o estado em que a zona estava deitou por terra esse sonho de voltar o ver o Pego em toda a sua beleza.

    Espero que por livre vontade ou pressionados a câmara de Tavira invista em reestruturar a zona, pois essa verba é mais que merecida para a zona em questão.

    Cpmts Daniel

    ResponderEliminar